Filtro de combustível: quando é preciso trocá-lo?

Quando o veículo apresenta algum problema, nada pior do que descobrir que tudo poderia ter sido evitado se alguma peça tivesse sido trocada com antecedência. Entre os equipamentos simples que podem causar grandes aborrecimentos no futuro está o filtro de combustível, que merece atenção especial.

Como a peça previne a entrada de impurezas no motor, ela é de vital importância para o bom funcionamento do automóvel. Sendo assim, conhecer os sintomas do filtro de combustível sujo pode facilitar bastante a sua vida e a de seu cliente, evitando que as falhas se tornem uma verdadeira bola de neve.

Além disso, esse conhecimento é essencial para que você entenda o funcionamento do filtro e oriente os motoristas com as informações certas, como a necessidade de realizar revisões periódicas para deixar o veículo em ótimas condições.

Se você ainda não tem certeza se é hora de substituir o equipamento por um novo, não se preocupe. Preparamos este post com dicas importantes sobre o filtro de combustível a fim de ajudá-lo a identificar o momento certo de fazer a substituição. Acompanhe!

Função do filtro de combustível

Como o próprio nome já diz, essa peça serve para filtrar o combustível que passa pelo motor — seja ele movido a gasolina, álcool ou diesel —, evitando que impurezas danifiquem sua estrutura.

Assim, o filtro impede que partículas que estejam no tanque do carro, como ferrugem, pó, água ou sujeira, cheguem à bomba de combustível e ao bico injetor, preservando a sua vida útil.

No Brasil, os primeiros filtros de combustível, fabricados entre 1950 e 1960, eram formados basicamente por uma lata perfurada com estopa prensada e recravada como acabamento.

Hoje em dia, o equipamento é feito com uma estrutura de nylon, aço ou alumínio e conta com um papel filtrante de alta eficiência, criado à base de fibras de celulose com furos capilares e calibrados. Muita coisa mudou com o passar do tempo, mas a necessidade de trocar a peça periodicamente continua.

Vale lembrar que os carros movidos a gasolina ou álcool podem receber filtros para motores carburadores e com injeção eletrônica, que são constituídos pelos materiais que mencionamos logo acima (nylon, aço ou alumínio).

Já os filtros destinados a motores a diesel, principalmente para veículos pesados — como ônibus e caminhões —, são feitos com um material especial, capaz de impedir que os resíduos danifiquem as peças da injeção do diesel. Afinal, esse sistema é bem diferente daquele presente em carros de passeio.

Só para ter uma ideia, alguns filtros para motores a diesel contam com um sistema de dreno muito apurado, capaz de separar toda água que possa estar no sistema. Eles podem ser feitos de lã, cartucho ou material blindado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *